Home > Coisologia, Diarices, Psicologia > Arrumação do quarto e das pastas de Psicologia

Arrumação do quarto e das pastas de Psicologia

Hoje vou falar sobre um assunto muito especial para vocês: a arrumação do meu quarto. Tentem disfarçar a excitação, ou posso ter a mesma reação dos Beatles e não fazer mais posts ao vivo. Para tornar tudo ainda muito mais legal, no meio disso falarei sobre Psicologia, o coração eterno que funda a alma de todos vocês.

Como sugere o título e o parágrafo acima, eu arrumei o meu quarto. Naquelas. Normalmente, é chato arrumar, mas o resultado final é bastante compensador. Isso me faz perguntar por que esperamos tanto tempo até botarmos a mão na massa. A preguiça deve ser uma universal mesmo.

Eu precisava dar um jeito de colocar 15 pastas grandes, uma pequena e uma porrada de CDs (do tempo em que eles eram baratos) em uma guarda-roupa já lotado. Consegui. Basicamente, o que fiz foi mexer nos locais das roupas e destruir a física alterando o espaço-tempo. Talvez eu ganhe um Nobel; não por ter conseguido fazer tudo se encaixar, mas por ter sido capaz de fazer sobrar espaço.

img_0022.jpg
Queria poder comprar CDs novamente. Hoje eu fabrico

Um dos momentos interessantes do meu trabalho foi rever todos os textos da minha graduação em Psicologia. Tive que revirar 15 pastas e selecionar quais deles continuariam comigo e quais seguiriam seus papéis de papéis rumo a um rumo que prefiro não pensar. O meu critério de seleção dos textos diz muito sobre o que eu considero que a Psicologia é.

  • Da Melanie Klein eu joguei tudo fora. Decidi que não preciso dela para dar risada. Eu já ri o suficiente com ela. Com muito respeito, claro.
  • Mantive o resto que se encaixa em Psicanálise, apesar de não ser fã da linha. Um dia vou estudar mais a fundo algumas coisas e preciso de uma base. São muitos textos, nossa!
  • Uma pasta inteira foi ocupada apenas por textos sobre Ciência na Psicologia e Métodos de Pesquisa. Importantíssimos!
  • Mantive, depois de muito ponderar, os textos que tratam os problemas comportamentis de forma psico-dinâmica. Tudo ponta solta. Não foi um reconhecimento da sua qualidade, mas sim de que há flores, mesmo no deserto.
  • Os textos sobre Psicologia da Educação eu dividi: 1/4 para o lixo, 3/4 para a pasta. O que embasou a divisão foi minha lembrança do que era mais legal, e a suposição de que vou trabalhar muito com isso ainda. São muitos e muitos!
  • Não tem muito o que falar sobre Psicologia do Desenvolvimento, das Organizações, sobre Medidas e Testes, e Orientação Profissional. Guardei tudo, simplesmente, guiado pela idéia de que serei professor e posso utilizá-los.
  • Dividi a Psicologia Social em dois: a de verdade e a dos contos de fadas (Sherazade, ou socialeco, como preferir). A primeira guardei por respeito, a segunda por causa do lance de ser professor e tal.
  • Antropologia, Sociologia e textos sobre Linguagem guardei, embrulhei, enlacei e dei a mim mesmo de presente.
  • A minha época de Psicologia Comparativa está salva em uma pasta.
  • Existencialismo, Fenomenologia, Gestalt, textos sobre Roger… todos salvos em nome da profissão de professor. Por mim, eu não guardaria, sendo honesto.
  • Com infinito prazer, joguei fora todos os textos relacionados à Biologia. Não que eu não ache importante. Pelo contrário! Considero fundamental unir Psicologia e Biologia. O problema é como os professores nos davam os textos: colagens desorganizadas incompreensíveis. Prefiro obter os conhecimentos básicos sobre isso na internet.
  • Salvei todos os planos de ensino que encontrei. Nem vou repetir por quê.
  • Depois de tudo isso, sobraram 6 pastas vazias: ou seja, joguei fora 1/3 dos meus textos. Uma quantidade imensa! Somando os textos sobre Análise do Comportamento que li na UFSC, mais os desses dois semestres de USP (ouvinte + aluno regular), 3 pastas ficaram abarrotadas. Todos textos tão tão tão bons!

O mais legal de rever tudo isso foram as lembranças que os textos traziam. Muitos deles estão para sempre associados com momentos legais dentro da Psicologia: um professor, um colega, uma piada, uma encheção de saco. Até texto traz saudade, é o fim da picada.

img_0021.jpg
Recheadas, menos as três da esquerda. E na caixa, uma supresa

  1. August 10, 2006 at 2:09 am

    Que dizer? parei de ler no primeiro paragrafo…

    .

    Mentira.

    Eu li tudo, por mais incompreensivel que isto pareça. rs

    E pior: ri um bocado! hahahaha

    Conclusão: na verdade vc expremeu o que tinha nas quinze pastas em 6 pastas, ou você havia xerocado tudo que a Klein escreveu… cinco vezes… hahaha

    As minhas pastas até que estão organizadas. O que eu precisava fazer mesmo era pegar os textos que eu não li (sim, eles existem ahahaha) tomar vergonha na cara, e le-los. rs

    Mas se eu me mudasse hoje, jogaria bem mais coisa fora do que você… rs… A parte de biologia eu acho que nem precisaria me dar ao trabalho, não porque não goste, mas porque minhas duas irmãs mais novas fazem curso de biologicas, e boa parte do meu material já foi devidamente canibalizado por elas ahhahahahahaha

    De resto tenho tudo… mas se precisasse escolher nem piscaria: AC, AC, AC… o resto: recliclavel rs

    beijos

  2. tsu
    August 10, 2006 at 10:43 am

    tah morando no sótão?

  3. August 11, 2006 at 12:46 am

    Lembrei de ti hoje! rs

    Fui ver apresentação do coral do qual fazia parte, e uma das músicas que eles cantaram foi O Barquinho… tão lindo! Você precisava ouvir!

    beijo

  1. No trackbacks yet.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: