Home > Diarices, Prosa > Um dia azul

Um dia azul

Eu abro a janela e o céu está azul. Não o azul pálido das manhãs ainda sem sol. Chega aos meus olhos, e a tudo que sou eu, o azul forte dos dias mais felizes. E um frio silencioso me faz me aconchegar em minhas blusas. Eu me lembro dela.

Ela fala comigo e eu ouço sua voz, mas não entendo o que ela diz. O som é distorcido por tantos ventos, por tanto tempo, que meus ouvidos se recusam a acreditar nisto que pode ser uma confusão. Fico atento para ouvir novas palavras. Quando tento localizá-la, descubro que neste mundo redondo dizer que ela está para baixo, para cima ou para os lados é a mesma coisa, e por isso não sei onde ela está em relação a mim…

Admiro-me da minha serenidade. Volto-me ao que me acontece no momento mais presente. É um céu azul forte, como nos dias mais felizes. Ando até o parque e o azul se funde com o verde das árvores ao vento. Pessoas de todos os tipos correm por trilhas circulares. Talvez também eu. E assim como os rostos sorriem, também sorrio eu por andar nesta trilha, seja ela uma repetição ou não.

Deitado em um banco eu me lembro da chuva, e de quantas vezes eu e ela nos escondemos abraçados. Eu tremo de alegria por saber que amo a chuva como o sol. Durmo despreocupado no banco, sob o som de muitos passos. Talvez alguém me acorde de surpresa, mas não esperarei.

Categories: Diarices, Prosa
  1. No comments yet.
  1. No trackbacks yet.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: