Home > Budismo, Ciência > Para derrotar o sofrimento

Para derrotar o sofrimento

Quando me perguntam, eu digo que se fosse para me classificar religiosamente, eu me chamaria de budista. O budismo, como eu o entendo, é um sistema de pensamento e ação brilhante!

Acabo de ler um artigo do Dalai Lama. Muitos o reconhecem como a maior autoridade do budismo. O Dalai Lama escreveu uma frase digna de nota: “Se a ciência provar que algumas crenças do budismo são erradas, então o budismo vai ter de mudar”.

Faz um sentido estrondoso, quando se analisa o centro de gravidade do budismo: o sofrimento. Todas as quatro nobres verdades estão relacionadas a ele: a primeira o reconhece, a segunda especifica sua causa, a terceira afirma que é possível superá-lo, e a quarta mostra um caminho para essa superação. Não sei se a palavra “superação” é a melhor, mas serve.

O Dalai Lama continua o artigo defendendo a pesquisa em neurociência para descobrir o porquê da meditação fazer bem, e qual a totalidade dos seus efeitos sobre o organismo. A idéia é nobre: aplicar a ciência para o bem do homem. Objetivo? Aliviar, ou derrotar, o sofrimento.

Não sou muito chegado no budismo de cartilha. Já li livros em que o budismo foi descrito como se ele e o catolicismo fossem irmãos de berço. Não é bem assim. No budismo, é sugerido que se verifique as afirmações, e não que se acredite nelas. A diferença é óbvia: o budismo se aproxima da ciência mais uma vez.

Também não gosto da idéia de cultos budistas. O budismo, como o entendo, não necessita rituais em grupo, e sim uma disposição individual em ajudar o grupo. Não consigo aceitar a idéia de um culto budista, senão amenizando a análise com a sugestão de que um culto pode facilitar a execução do caminho para a superação do sofrimento.

O budismo apresenta um pensamento elevado, com grande correspondência à realidade. Como bom cientista, reflito muito sobre suas zonas de contato com a análise do comportamento. São complexas e estranhas. Do meu ponto de vista, uma união coesa de ambos os sistemas de pensamento é o melhor caminho para derrotar o sofrimento, pois resultaria em um conjunto de ações eficazes e cuidadosamente avaliadas.

Categories: Budismo, Ciência
  1. June 7, 2006 at 1:48 pm

    Nietzsche herdou de Shopenhauer pelo menos um apreço maior pelo budismo em relação ao cristianismo quando diz:

    “A diferença fundamental entre as duas religiões da decadência: o budismo não promete, mas assegura. O cristianismo promete tudo, mas não cumpre nada.”

  2. S. Costa
    June 19, 2006 at 4:57 pm

    Só a título de esclarecimento, e esperando ajudar em sua análise. Não se fala em superação do sofrimento (talvez, o problema sejam as muitas traduções do pali para o sanscrito, para o chines o tibetano e daí por diante… O que existe e ” ni thi da” ou seja a verdade do cessar ( do fim) do acabar, finalizar com e o sofrimento. “Bac – Drenshe – Tö – Sam – Gön – Trchö – Debru” ( Da conduta ao fruto ou resultado).Diferente de superar.
    Bem é bastante complexo, mas acho que ajuda a melhor compreensão.
    Outra informação que pode te ajudar é que não existe “culto” Budista mas sim o que se chama de prática que pode ser feita individualmente ou em grupo orientado por um Mestre, ou não, dependendo do tipo de prática onde se aprende e se aplica princípios de meditação ( são muitos e diferentes tipos) e onde se discute os ensinamentos a luz de uma realidade contemporânea, não sectária e mais de acordo com a cultura e o entendimento do lugar onde se da a prática. Outros tipos de prática servem como ensinamentos. Acredito que para você se tornar um cientista é preciso estudar e praticar ciência. Idem com o Budismo. Para você se tornar um cientista é preciso que alguém te oriente, para que você permaneça sendo um bom cientista é preciso que você participe da comunidade científica. Assim também com o Budismo. Simples verdade. Como uma complexa fórmula deve parecer a você, e, no entanto sempre existirão fórmulas a conhecer. Idem no Budismo. Afinal o principio da impermanencia permeia tanto a ciência quanto é um dos passos do caminho do Budismo.
    Espero realmente ter contribuído e que todos os seres possam se beneficiar.
    .

  3. Evashun
    June 19, 2006 at 5:18 pm

    This is your POW

  1. No trackbacks yet.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: